Palestra 3: COMPETITIVIDADE E PROPRIEDADE INTELECTUAL: MAIS QUE UM DESAFIO PARA AS EMPRESAS E PARA O BRASIL

Prof. PhD. Claiton Emilio do Amaral (UNIVILLE) - http://lattes.cnpq.br/7181056965617404. Possui Graduações em Engenharia Mecânica (1987) e Engenharia Civil (1994) pela Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC, Pós-Graduação em nível de Especialização em Matemática Aplicada (1995) pela Universidade da Região de Joinville - UNIVILLE, Pós-Graduação em nível de Mestrado em Engenharia de Produção (2001) pela Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC e Pós-Graduação em nível de Doutorado em Engenharia de Produção (2016) pela Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC. Desenvolve trabalhos de orientação e pesquisas nas áreas de gestão do conhecimento, desenvolvimento de projetos de produtos, projetos de melhoria de qualidade e redução de custos em produtos. Atua como professor universitário nos Cursos de Engenharia de Produção, Engenharia Mecânica e Engenharia Civil da Univille. Black belt certificado em 2002, possui larga experiência em desenvolvimento e implementação de projetos de produtos com mais de 15 anos trabalhando em empresa líder mundial na fabricação de eletrodomésticos. Experiência profissional internacional (Estados Unidos) de 2 anos (de Set/2004 a Set/2006) pela mesma companhia no desenvolvimento de soluções avançadas em disponibilização de água e gelo para refrigeradores domésticos. De dezembro de 2013 a 2016 trabalhou como Pró-Reitor de Extensão e Assuntos Comunitários da Universidade da Região de Joinville - Univille e, a partir de Janeiro de 2017, passou a ocupar a posição de Pró-reitor de Infraestrutura na mesma Universidade.

* RESUMO DA PALESTRA: A palestra irá abordar a busca pela inovação em um ambiente que se altera de forma cada vez mais rápida e imprevisível, mais que uma necessidade, trata-se de um desafio para empresas que precisam de um modo contundente e robusto buscar meios para proteger suas ideias e, assim, obter vantagens competitivas sustentáveis. Na maioria dos países, incluindo o Brasil, leis específicas possibilitam às empresas pleitear junto ao Estado o direito à exclusividade de mercado para a exploração dessas ideias por tempo determinado via pedidos de privilégio de invenção, também denominados por pedidos de patente. Para isso, é necessário que a ideia atenda determinados requisitos de patenteabilidade. Contudo, ao consultar os registros do Instituto Nacional de Propriedade Industrial – INPI no Brasil, observa-se um número considerável de pedidos de patentes e também de patentes já concedidas sendo abandonadas prematuramente por diversos motivos.