Palestras

Eng. Mec. CEZAR FERREIRA (Gerente de Projetos | CELSE): Gerente de projetos de implantação de unidades de geração de energia elétrica com mais de 15 anos de vivência, tendo participado da implantação de termoelétricas a carvão e a gás, além de planta de geração de energia fotovoltaica. Gerente de projetos de implantação de plantas químicas e petroquímicas. Formado em Engenharia Mecânica pela PUC-RJ. MBA em Gerenciamento de Empreendimentos pela FGV-RJ. Especialista em análise de riscos em megaprojetos.

 

 

 

 

Eng. Mec. JOHN MCNEILL INGHAN (Diretor de Engenharia de Aplicação | GE): Com 25 anos de experiência na área de energia, é hoje o Diretor de Engenharia de Aplicação das turbinas a gás na General Electric, onde define a melhor tecnologia a ser aplicada a cada projeto, considerando a operação, o local, o combustível e o cliente . Ingressou na GE há 10 anos como Diretor Regional das Turbinas Aeroderivadas, hoje parte do portfolio de Gas Power Systems. Desenvolveu vários projetos de geração e cogeração de energia elétrica no Brasil e em toda a América Latina, tanto on-shore quanto off-shore. Iniciou sua carreira na área de combustão e combustíveis, tendo executado grandes projetos industriais em todo mundo. Formado Engenheiro Mecânico pela Escola Politécnica de São Paulo, com ênfase em energia, possui dois MBAs.



* RESUMO DA PALESTRA: É do conhecimento da maioria que o país passa atualmente por um momento de seca, o que deixa os reservatórios de água em situação crítica. Nesse momento o ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico) recorre principalmente às termelétricas que estão em prontidão para manter a segurança e confiabilidade do sistema. A construção de uma termelétrica no Estado de Sergipe é estratégico para o sistema nacional, devido principalmente a sua localização geográfica e infraestrutura de linhas de transmissão existentes, o que releva a construção da Termelétrica Porto de Sergipe. O objetivo da palestra é mostrar aos congressistas e convidados, a dimensão do empreendimento, sua importância para o sistema nacional e regional e sua relevância para a economia sergipana. Também serão debatidas as tecnologias inovadoras dos equipamentos que compõem o complexo industrial, principalmente as turbinas a gás e de vapor.

Eng. Mec. LUCAS COSTA BRITO - http://lattes.cnpq.br/9519306355864837: Sócio, Consultor Júnior e Instrutor da Dynamic Services Consultoria Ltda. Mestrando em Engenharia Mecânica pela UFU (Universidade Federal de Uberlânida). Engenheiro Mecânico pela UFSJ (Universidade Federal de São João del-Rei). Participante do Programa CsF (Ciência Sem Fronteira) na Lakehead University, Thunder Bay, Canadá, no período de DEZ/2013 a ABR/2015. Green Belt em Six Sigma. Membro da Equipe Técnica do Gep_LASID (Grupo de Estudos e Pesquisas do Laboratório de Sistemas Dinâmicos) da UFSJ sob orientação do Prof. D.Sc. Jorge Nei Brito. Estagiário da Saint-Gobain Materiais Cerâmicos, unidade Barbacena, no período AGO/2013 a DEZ/2013, setores de Manutenção Industrial e PCM (Planejamento e Controle da Manutenção). Estagiário da AMG Brasil, unidade São João del-Rei, MG, no período JAN/2016 a FEV/2016, setores de Manutenção Industrial e PCM (Planejamento e Controle da Manutenção). Autor de artigos técnicos apresentados e publicados em congressos técnico-científicos. Palestrante convidado em congressos regionais e nacionais. Especialista na Área de Manutenção e Lubrificação Industrial com foco em Técnicas Preditivas (Análise de Vibração; Análise de Óleo; Análise Termográfica; Balanceamento Dinâmico e Alinhamento a Laser) e melhorias contínua.


* RESUMO DA PALESTRA:
Com economia de mercado globalizada a concorrência entre as indústrias aumenta a cada dia. Isto leva a uma constante busca na diminuição dos custos dos produtos associada ao aumento da qualidade. Consequentemente, as máquinas passam a trabalhar de forma ininterrupta e submetidas a grandes velocidades. Com esse alto grau de produtividade, qualquer parada não programada (manutenção corretiva não planejada) causa grandes prejuízos. Portanto, uma melhoria no uso das técnicas de manutenção adequadas torna-se imprescindível. Conhecer as existentes, aprimorá-las e desenvolver novas tecnologias significam uma manutenção de melhor qualidade e com menos tempo de horas paradas. Nesta palestra, além de uma breve introdução sobre a evolução da manutenção e dos seus tipos, serão apresentados casos reais de detecção de falhas de origem mecânica e elétrica em equipamentos industriais através seguintes Técnicas Preditivas: Análise de Vibração, Análise de Corrente, Análise de Fluxo Magnético, Análise de Tensão/Corrente Parasita no Eixo do Motor, Análise Termométrica e Análise Termográfica.

Eng. Prof. D.Sc. MARCUS ANTONIO VIANA DUARTE - http://lattes.cnpq.br/9030389274220180: Possui graduação em Engenharia Mecânica pela Universidade Federal de Uberlândia (1982), mestrado em Engenharia Mecânica pela Universidade Federal de Santa Catarina (1985) e doutorado em Engenharia Mecânica pela Universidade Estadual de Campinas (1994). Atualmente é Docente da Universidade Federal de Uberlândia. Tem experiência na área de Engenharia Mecânica, com ênfase em Mecânica dos Sólidos e atua principalmente nos seguintes temas: Acústica, Motores Elétricos, Ventiladores Tesla.

* RESUMO DA PALESTRA: A palestra que será apresentada com foco na aplicação da Inteligência Artificial como ferramenta de apoio para identificação de sintomas vibro-acústicos para diagnose de tempo de parada de máquinas e critério para controle de qualidade em linhas de produção. Ferramentas: lógica nebulosa (fuzzy), redes neurais, máquinas de vetores de suporte (vector machine) e análise multivariada de dados. Aplicações: análise da qualidade de um sinal de monitoramento; determinação de sintomas vibratórios para critério passa-não-passa em linhas de produção; determinação de valores limites de sintomas para grandes grupos de máquinas e determinação de valores limites de sintomas evolução temporal.

Eng. Eletr. SANDRO YAMAMOTO (Diretor Técnico | ABEEólica): Especialista em comercialização de energia elétrica e regulação do setor de energia elétrica. Especialista em Automação Industrial. 21 anos de experiência no setor elétrico, atuou nas empresas Eletropaulo, Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista, EDP Renováveis e Câmara de Comercialização de Energia Elétrica.  Atualmente é Diretor Técnico na Associação Brasileira de Energia Eólica - ABEEólica.

* RESUMO DO DA PALESTRA: A geração de energia eólica atingiu em agosto os dois dígitos de representação na matriz elétrica brasileira, ou seja, 10% da produção. Os dados mensais da ABEEólica também mostram que o Brasil chega a outubro com 12,33 GW de capacidade instalada de energia eólica, em 491 parques eólicos. A proposta da palestra é mostrar a panorâmica nacional e internacional do uso da energia eólica e o seu impacto na matriz energética nacional. Também serão discutidas as tecnologias mais avançadas do segmento e as pesquisas em andamento, principalmente nas universidades e centros de tecnologia brasileiros. Ao final os congressistas terão a oportunidade de conhecer as perspectivas de geração de emprego advindas da cadeia produtiva de energia eólica, sobretudo no Nordeste do Brasil.